DE DENTES E DENTADURAS

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

A surpreendente história da odontologia e da higiene bucal.

EGÍPCIO Pela grande pirâmide de Keops!… Triture pedra-pomes, misture com este vinagre e depois esfregue os dentes com estes palitos…

LOCUTORA O primeiro creme dental foi inventado pelos egípcios há 4 mil anos. Era muito abrasivo, mas deixava a dentadura reluzente.

LOCUTOR Depois vieram os romanos. Os romanos lavavam os dentes e enxaguavam a boca com urina.

LOCUTORA Os médicos do século primeiro asseguravam que a urina humana branqueava e protegia.

ROMANA Tem certeza que é portuguesa?

HOMEM Mama mia, cheire, sinta a pestilência!

LOCUTOR As mulheres romanas pagavam muito caro pela urina portuguesa. Diziam que era a mais potente da Europa. E talvez fosse, devido aos meses que as ânforas transbordantes de urina demoravam para chegar a Roma desde o longínquo Portugal.

CONTROLESICA DE ÉPOCA

LOCUTORA Com a queda do império romano, a higiene bucal foi abandonada completamente.

LOCUTOR Foi por volta do final do século 15 que os chineses inventaram as escovas de dentes providas de cerdas.

EFEITO GRITOS DE PORCOS

LOCUTORA Chamavam-se cerdas porque os pelos eram arrancados aos puxões do pescoço dos cerdos. Depois, eram costurados a varetas de bambu.

LOCUTOR Os mercadores levaram este invento a Europa sem muito êxito. Os europeus não tinham costume de escovar os dentes.

LOCUTORA Durante 500 anos, as pessoas aliviavam suas dores de dente Arrancando-os.

DENTISTA Que rufem os tambores!

PACIENTE Não, por favor, prego… Aggggg!

EFEITO TAMBORES AO FUNDO

LOCUTOR Os tiradentes iam de povoado em povoado extirpando os dentes que doíam até deixar a boca vazia. As operações, sem nenhuma higiene nem anestesia, eram acompanhadas do rufar de tambores para abafar os alaridos pungentes do paciente.

CONTROLESICA DE ÉPOCA

LOCUTORA No século 16, começaram a experimentar dentaduras postiças a base de dentes humanos arrancados dos defuntos.

DENTISTA Agora, madame, encomende-se a Santa Apolônia, patrona das dores insuportáveis…

LOCUTOR Mas colocar os dentes postiços supunha uma operação selvagem. As mulheres aristocratas perfuravam as gengivas com ganchos para assegurar os arames das dentaduras.

LOCUTORA Uns anos mais tarde, já foi possível calçar as peças usando molas. Mas estas eram tão fortes que era preciso uma pressão constante para manter a boca fechada. Uma distração momentânea e…

EFEITO MOLA

LOCUTORA … a dentadura saía em disparada.

LOCUTOR Naquela época, era frequente recolher dentes nos campos de batalha. Os ladrões de dentes iam com tenazes e obtinham seu butim de soldados mortos e de outros moribundos.

HOMEM Meu dentista conseguiu uns dentes esplendidos, trazidos de Waterloo!

LOCUTORA As “dentaduras Waterloo” entraram na moda e milhares de europeus as exibiam.

LOCUTOR Os dentes de porcelana, inventados em Paris, puseram fim a esta prática macabra.

LOCUTORA Somente nos séculos 19 e 20 desenvolveu-se a anestesia, a fresa mecânica, as escovas de náilon e a pasta de dentes com flúor para reduzir as caries.

LOCUTOR A espécie humana superava assim um dos maiores tormentos que a acompanharam ao longo de sua história

BIBLIOGRAFÍA
Carlos Fisas, Historias de la Historia, Planeta, Barcelona 1988.

DE DENTES E DENTADURAS

2 comentarios sobre «DE DENTES E DENTADURAS»

Responder a uba / BOLIVIA Cancelar la respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.