EM NOME DE NZINGA

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

A Rainha Nzinga, lutadora por seu país Angola e contra o cruel comércio de escravos.

LOCUTORA Corria o século XVI. Os portugueses haviam conquistado o reino africano de Angola e estabelecido ali seu centro de operações para o tráfico de escravos. Anualmente, dez mil negros e negras eram “exportados” para o Brasil.

EFEITO AMBIENTE DE PORTO

PORTUGUÊS Escolham os mais fortes, os de dentes bons. Para que cheguem vivos do outro lado do mar… Dêem-lhes de comer uma vez por dia! Escolham as negras robustas. Serviram para parir… e para o que sabemos… rá, rá…

EFEITOSICA TRISTE

LOCUTOR Nessas terras nasceu Nzinga Mbandi, no ano de 1580. Sua família reinava em Angola à sombra da coroa portuguesa.

LOCUTORA Com o tempo, o irmão de Nzinga tornou-se rei e ela se encarregou das relações diplomáticas com Portugal. Assinou vários tratados, mas nunca aprovou a cumplicidade de seu irmão com o tráfico de escravos.

NZINGA Com é possível que continue entregando nossos vizinhos, o nosso sangue?

REI Os portugueses nos prometeram liberdade se capturarmos escravos em outras terras.

NZINGA Traidores! Estamos nos convertendo em traidores. E esses portugueses são uns mentirosos. Aceitamos todas suas condições. Até admiti que me batizassem com um nome cristão… O que mais eles querem? E no meio disso tudo você.. . você continua entregando gente.

REI (IRÔNICO) Já lhe disse, Nzinga… perdão, quis dizer “Dona Ana”… que é o preço de ser livres.

EFEITOSICA TRISTE

LOCUTORA O rei morreu e a liberdade nunca chegou. Em 1624, Nzinga Mbandi tornou-se a nova rainha de Angola.

LOCUTOR Os portugueses violaram todos os acordos firmados com a que eles chamavam de “Dona Ana de Souza”. Como mostra de protesto, Nzinga abandonou seu nome cristão e se propôs a recuperar a independência política e territorial de seu reino.

HOMEM Lutaremos em seu nome, Nzinga!

NZINGA Não. Lutaremos em nome de tantos irmãos vendidos como animais, de tantas mulheres escravisadas pela cobiça do homem branco.

LOCUTORA Os portugueses, temerosos de perder o controle, derrubaram Nzinga. A rainha teve que fugir e instalar-se nas terras próximas de Matamba.

EFEITO MURMURIOS

NZINGA Não vou ficar tranqüila. Criarei um reino aqui e desde o exílio buscarei aliados.

LOCUTOR Nzinga formou uma grande aliança com os inimigos de Portugal. Em pouco tempo, levantou um poderoso exército e depois de lutar por 13 anos recuperou Angola e derrotou os portugueses.

CONTROLE TAMBORES AFRICANOS

LOCUTORA Angola viveu cinco anos de paz. Mas em 1648, durante uma emboscada, os portugueses novamente tomaram o controle do reino.

LOCUTOR Desterrada mais uma vez em Matamba, a Rainha Nzinga continuou lutando por seu povo e opondo-se ao cruel comércio de escravos.

NZINGA Porque nascemos livres. E preferimos morrer livres que viver sob o julgo dos portugueses.

LOCUTORA Morreu, desterrada, mas livre, aos 82 anos.

CONTROLESICA EVOCADORA

LOCUTOR Em 11 de novembro de 1975, trezentos e doze anos mais tarde, Angola recuperou sua independência. Esse dia, em memória da rainha rebelde, os vizinhos batizaram a principal avenida de Luanda, a capital, com o nome de Nzinga Mbandi.

EM NOME DE NZINGA

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.