KILLARICOCHA A MALDIÇÃO DA ABUNDÂNCIA (5)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Quinto capítulo de uma radionovela bem polêmica.

KILLARICOCHA A MALDIÇÃO DA ABUNDÂNCIA (4)Capítulo 5 Frente de Defensa da Comunidade

CONTROLE MÚSICA CAMPONESA ALEGRE

LOCUTOR Killaricocha.

LOCUTORA A maldição da abundância.

NARRADORA Depois de ouvir o presidente da República, Lucy saiu com pressa de sua casa. Chamou a quantos vizinhos encontrou nas calçadas das ruas de Killaricocha. E foi ao mercado, pouco antes do meio-dia, na hora em que mais gente estava fazendo suas compras. Subiu em uns tijolos agitando os braços…

EFEITO MERCADO

LUCY Vizinhos de Killaricocha!… Vizinhas, sim, venham… Vocês também, companheiros, aproximem-se…

EFEITO BURBURINHO

VIZINHO Então, dona Lucy, de que erva medicinal nos vai falar agora?

LUCY De uma erva daninha, vizinho. Uma erva daninha que está crescendo na comunidade. Vizinhas, vizinhos, quero fazer-lhes uma pergunta. Digam-me… em que ano estamos, em que século estamos?

VIZINHA Em que século?… E não estamos no 21, como dizem? Este não é o século 21?

LUCY Claro que sim, vizinha, estamos no século 21… Mas parece que estamos muito antes, no tempo da colônia.

VIZINHO Ai, dona Lucy, você e suas histórias… Por que diz isso?

LUCY Porque há mais de 500 anos vieram os espanhóis por estas terras, não é mesmo? E que fizeram esses safados? Abrir minas para levar a prata, o ouro, tudo o que podiam carregar. Assim se meteram na Bolívia, em um cerro chamado Potosí. Tiraram toda a riqueza que tinha dentro, esvaziaram essa montanha como se esvazia uma abóbora. Para aquele povo só deixaram os buracos.

VIZINHA Isto é certo, dona Lucy?

LUCY Tão certo como que nossa lagoa é redonda. Antes eram os espanhóis. E agora são os chineses em Tambo Vermelho, e os canadenses aqui e os gringos mais adiante… E nossos governos? De comparsas com eles.

VIZINHA E o que a senhora propõe, dona Lucy?

LUCY Eu proponho fazer uma frente de defensa da comunidade.

VIZINHO Como uma frente de defensa?

LUCY E uma consulta pela mina que nos querem meter. Se a maioria diz SIM, que a Green siga adiante. Democracia é democracia e a maioria manda. Mas se a maioria diz NÃO, que caiam fora de Killaricocha com toda sua maquinaria.

CONTROLE MÚSICA ROMÂNTICA

GUSTAVO Anita, tenho que dizer-te duas coisas, uma boa e uma ruim.

ANITA Diga-me primeiro a boa, Gustavo… Guto.

GUSTAVO A boa é que consegui um emprego excelente para o teu pai na empresa. Muito bem pago. Diga-lhe que venha me ver o quanto antes.

ANITA Que maravilha!… Posso te dar um beijo?

GUSTAVO Claro, minha menina… (BEIJO)

ANITA E a má?

GUSTAVO A má é que tua mãe está brincando com fogo. Está conspirando com esse mestre velho, um agitador bem conhecido das autoridades. Diga que se cuide… que se cuide.

CONTROLE MÚSICA DE SUSPENSE

JORNALISTA O senhor por aqui, senhor Gustavo, nos estúdios de Rádio Êxitos? E a que se deve esta honra?

GUSTAVO Preste atenção, minha linda colega. A empresa precisa que você fale, que denuncie a esses agitadores que estão chamando para uma consulta popular sobre a mina.

JORNALISTA E o que tenho que dizer?

GUSTAVO Que é ilegal, que só a autoridade competente, isto é, o prefeito, pode convocar a consulta.

JORNALISTA E o que mais?

GUSTAVO Que se continuarem com essa palhaçada… preparem-se para as consequências.

CONTROLE MÚSICA DE SUSPENSE

EFEITO SINOS IGREJA

GUSTAVO Desculpe que o incomode, senhor padre.

PADRE (ESPANHOL) Nenhum incômodo. Diga-me o que deseja.

GUSTAVO Sou o relações públicas da Green Golden Mines. Os vizinhos estão inquietos por um punhado de agitadores ateus, comunistas, e gostaríamos que o senhor nos ajude dizendo algo na missa do domingo.

PADRE Dizendo o quê?

GUSTAVO Dizendo que Deus não gosta desses protestos, entende, padre? Com certeza, sua igreja está muito desbotada. A empresa poderia ajudar-lhe para deixá-la como nova.

PADRE Senhor relacionista ou seja lá quem for. Por qual porta o senhor entrou? Por aquela, não é? Pois o convido a que saia agora mesmo exatamente por onde entrou. Onde já se viu tamanho descaramento!

CONTROLE MÚSICA DE TRANSIÇÃO

NARRADORA A população de Killaricocha estava alvoroçada. Naquela mesma noite todos se reuniram no salão da comunidade e decidiram formar a Frente de Defensa contra a mineradora canadense.

EFEITO BURBURINHO, AGITAÇÃO

VIZINHO E a senhora, dona Lucy, será nossa presidenta!

EFEITO APLAUSOS DE APROVAÇÃO

NARRADORA Eleita por aclamação, dona Lucy começou de imediato a organizar a consulta sobre a mineração junto à laguna de Killaricocha.

NICANOR Dona Lucy, sabe o que estou pensando?

LUCY Diga-me, mestre Nicanor.

NICANOR A consulta está muito bem. Mas se a fazemos só entre nós ninguém vai ficar sabendo. Precisamos dar publicidade ao assunto.

LUCY Pois não conte com a emissora porque essa jornalista está vendidíssima à empresa.

NICANOR Estou pensando em gente de fora, começando pelos de Tambo Vermelho.
E também de outras cidades, inclusive de outros países. Podemos convidar para que nos acompanhem no dia da consulta. Assim fazemos ruído. Assim temos impacto político.

LUCY E quem o senhor conhece de outros países, mestre?

NICANOR Bom, não a muitos, mas conheço aos que conhecem.

LUCY Por exemplo?

NICANOR Aos companheiros de Cajamarca, no Peru. Essa comunidade está lutando bravamente contra uma empresa gringa, a Yanacocha, que quer sujar os rios da zona. E aos de Kimsacocha, em Equador, que ganharam uma consulta como a que queremos fazer aqui. E aos argentinos de Esquel, que disseram não à mina.

LUCY E de onde o senhor conhece tanta gente, mestre?

NICANOR Hoje em dia, dona Lucy, tudo se sabe pela internet. Na semana passada eu estive fazendo minhas averiguações e estou certo que vão nos apoiar.

LUCY O senhor acha mesmo?

NICANOR Mas é claro. Também podemos escrever aos colombianos, que estão enfrentando aos gringos em La Colosa, uma mina de ouro enorme. E aos mexicanos de Caballo Blanco. E aos salvadorenhos. Há muita gente lutando pela mesma coisa que nós lutamos.

LUCY E poderão vir até nosso povoado, mestre?

NICANOR Alguns sim, outros não. Mesmo que só nos mandem uma mensagem de solidariedade, já é bom. Vamos convidar a todos.

LUCY Só o senhor para ter essas ideias, mestre Nicanor.

NICANOR E sabe do que mais necessitamos, dona Lucy? Um advogado amigo. Um advogado que nos assessore para organizar uma consulta como Deus manda. Para que não a desqualifiquem depois os ilustríssimos senhores da capital.

CONTROLE MÚSICA DE TRANSIÇÃO

PREFEITO Dona Lucy, que ventos a trazem pela prefeitura?

LUCY É que cansamos de esperar, senhor prefeito. O senhor disse que ia consultar sobre a consulta. E ainda não nos disse nem um pio.

PREFEITO Com efeito, já me informei. Vocês não têm autorização para fazer nenhuma consulta. Isso corresponde a mim.

LUCY E “o senhor” vai fazer a consulta?

PREFEITO Isso não é assunto seu, “senhora”.

LUCY Pois me permita dizer-lhe, “senhor”, que formamos a Frente de Defensa de Killaricocha. E vamos fazer a consulta, com ou sem sua permissão.
PREFEITO Pois me permita dizer-lhe, “senhora”, que deveria estar mais preocupada com sua família em vez de andar metendo-se em confusões políticos.

LUCY O que quer dizer?

PREFEITO Todo mundo já sabe que seu esposo, seu Fermín, está trabalhando para a mineradora.

LUCY Como disse?

PREFEITO E não se interou que sua linda filha Ana está de amores com o relações públicas da empresa?

LUCY Como pode dizer uma coisa dessas…?

PREFEITO Portanto, cuide de sua frente interna, dona Lucy, cuide…

LOCUTOR Uma produção de Radialistas Apaixonadas e Apaixonados e da Fundação Rosa Luxemburg.

VOCÊ É ESTE ACONTECENDO EM SUA NOVELA DE RÁDIO? POR QUE MAIS? POR QUE NÃO? DIGANOS?!

KILLARICOCHA A MALDIÇÃO DA ABUNDÂNCIA (6)

KILLARICOCHA A MALDIÇÃO DA ABUNDÂNCIA (5)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.