PATRÍCIA, A MATERNIDADE, OPÇÃO OU OBRIGAÇÃO?

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Tenho 30 anos, faz pouco tempo que estou com um parceiro. Ele me propôs ter um filho e não sei o que fazer.

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

PATRÍCIA Estou feliz. Em meus 30 anos conquistei muitas cosas: uma carreira universitária, um trabalho e quero conhecer o mundo. Se estou casada? Não. Mas faz algum tempo que eu e Sérgio vivemos juntos, somos um casal.

CONTROLE MÚSICA ALEGRE

SÉRGIO Paty, vamos nadar?

PATRÍCIA Eu e Sérgio adoramos nadar. Então aproveitamos nossos dias livres para ir à praia ou a uma piscina.

EFEITO RISOS, BARULHO DE ÁGUA

PATRÍCIA E temos muitas amizades…

VÁRIOS Vamos ao cinema? Hoje temos festa. Vocês estão convidados. Venham.

CONTROLE MÚSICA ALEGRE

PATRÍCIA Nem tudo é diversão, trabalhamos muitíssimo porque planejamos comprar um apartamentinho. E eu quero estudar e fazer mestrado. Isso custa tempo e dinheiro.

CONTROLE MÚSICA ALEGRE

PATRÍCIA Justo no dia em que celebramos nosso terceiro ano juntos, Sérgio fez-me uma enorme surpresa…

EFEITO CASA

SÉRGIO Paty, tenho algo muito importante para te dizer.

PATRÍCIA Fiquei intrigada. Ele é um homem aberto e nunca guardou nenhum secreto de mim. (PAUSA) Algum problema que eu não saiba?

SÉRGIO (RISO SUAVE) Paty, eu te amo e você a mim. Por que não temos um filho?

PATRÍCIA (ATORDOADA) O quê? Um filho? Mas…

SÉRGIO Por que está surpresa? Já estamos há três anos juntos.

PATRÍCIA Sérgio, você não acha que está bem assim?

SÉRGIO Estaríamos melhor com um bebê. Já temos idade para isso.

PATRÍCIA Idade para isso? Sérgio, por favor, de onde tirou essa agora? Já tínhamos conversado…

SÉRGIO Todos os meus irmãos e colegas do escritório já têm filhos.

PATRÍCIA E no meu trabalho, todas minhas colegas são mães. Isso não quer dizer que eu também tenha que sê-lo.

SÉRGIO Bom, poderia começar a pensar no assunto e conversamos novamente outro dia. Hoje, tenho um bom vinho e uns sanduíches deliciosos. Saúde!

EFEITO RISOS E BRINDES DE AMBOS

CONTROLE MÚSICA ROMÂNTICA

PATRÍCIA E assim, como quem não quer nada, Sérgio me soltou seu desejo de ter… um filho! Eu dissimulei o máximo que pude, mas só de pensar na ideia fiquei uma pilha de nervos. No dia seguinte, falei com minha melhor amiga…

EFEITO CAFETERIA

PATRÍCIA Deu para entender, Sílvia? Assim sem mais, Sérgio quer ser papai.

SÍLVIA E você?

PATRÍCIA Nem em sonho. Eu quero estudar, acomodar-nos, viajar. A maternidade não é para mim.

SÍLVIA Como você sabe?

PATRÍCIA Não sinto nenhuma inclinação de ser mãe, o famoso “instinto maternal”. Eu não acho que toda mulher tem que ser mãe.

SÍLVIA Nem vai pensar no assunto?

PATRÍCIA Não. Direi a Sérgio para que esqueça o assunto.

CONTROLE MÚSICA DRAMÁTICA

PATRÍCIA Mas Sérgio já havia comentado sua peregrina ideia nem mais nem menos que com a minha mãe.

EFEITO TELEFONE

PATRÍCIA Oi, mãe. Liguei para…

MÃE (FILTRO) Filha, Sérgio me contou que vão encomendar.

PATRÍCIA Como disse, mãe?

MÃE (FILTRO) Sérgio disse que já vão encomendar. Ai, filha, eu quero tanto um neto. Além disso, assim vocês se animam em se casar. Seu pai está aqui, vou passar para ele…

PAI (FILTRO) Filhota? Que felizes nos fazem. Há anos que não há um bebê na família.

PATRÍCIA Pai, há um equívoco. Sérgio me pediu para termos um filho, mas eu não quero.

PAI (FILTRO) Não diga isso, filhota. Vou passar para tua mãe.

PATRÍCIA Não, pai. Eu ligo depois.

EFEITO GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA E naquela noite… (PAUSA) Sérgio, por que anda dizendo que vamos encomendar um bebê?

SÉRGIO Só disse para tua mãe.

PATRÍCIA (BRAVA) Só? Pois ninguém melhor para que toda a família fique sabendo.

SÉRGIO E não seria normal? Claro, se quiser nos casamos primeiro.

PATRÍCIA Por Deus, Sérgio. Não se trata de matrimônio. Trata-se de que eu nem pensei no assunto. Alguma vez me ouvir falar disso?

SÉRGIO Não, mas todas as mulheres da tua idade têm filhos.

PATRÍCIA Sérgio, não está em meus planos.

SÉRGIO Mas, Paty…

CONTROLE GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA Sérgio não voltou a falar no assunto, mas o notava triste e distante. Será que todos os homens querem ter filhos? A partir de então, não havia ocasião em que minha família não me perguntava.

MÃE E aí, Paty?

PATRÍCIA Aí o quê, mãe?

MÃE Meu netinho.

PATRÍCIA Já te disse, mãe. Não e não.

MÃE Paty, uma mulher sem filhos não é mulher. E Sérgio também o quer.

PATRÍCIA Mãe. Deixe-me em paz.

CONTROLE MUSICA TENSA

PATRÍCIA Entre Sérgio, minha mãe, meu pai, e logo entre meus irmãos, eu deixei de ser Patrícia para ser a futura mãe do futuro filho, neto, sobrinho, afilhado… Ufa!… Todos me desesperam. Um filho não é uma obrigação, é uma opção. Não sei o que fazer para que entendam isso e para que Sérgio não pense que não o amo. Não sei, não sei. E você, o que faria no meu lugar?

CONTROLE MÚSICA SUSPENSE

*PRIMEIRA SOLUÇÃO*

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Primeira solução…

MÃE Paty, uma mulher sem filhos não é mulher. E Sérgio também o quer.

PATRÍCIA Mãe. Deixe-me em paz.

CONTROLE MUSICA TENSA

PATRÍCIA Sílvia era a única pessoa com quem podia falar abertamente…

EFEITO CAFETERIA

PATRÍCIA Sílvia, se tiver um filho toda minha vida mudará. Adeus apartamento, meu mestrado.

SÍLVIA É por isso que sou solteira. Sem marido e sem filhos.

PATRÍCIA Para Sérgio é questão de auto-estima…

SÍLVIA E de virilidade. Sérgio pensa como a maioria: sem filhos, não há família.

PATRÍCIA O que me preocupa é que… você acha que ele vai procurar outra mulher?

SÍLVIA Muitos o fazem. E terminam a relação.

PATRÍCIA O que faço, Sílvia?

SÍLVIA Não sei, Paty.

PATRÍCIA Que difícil!

CONTROLE MÚSICA TENSA

PATRÍCIA Um acontecimento familiar veio mudar tudo.

SÉRGIO Paty, vamos ao hospital? Minha prima teve um bebê, é uma menina.

EFEITO AMBIENTE HOSPITAL, CHORO DE BEBÊ

SÉRGIO Parabéns, prima!… Olha, Paty. É linda.

PATRÍCIA Sim.

PRIMA E vocês, quando?

SÉRGIO Já estamos planejando, não é mesmo, meu amor?

PATRÍCIA Bom, eu não…

PRIMA Anda, Paty. Pega a bebê, para que te dê vontande.

EFEITO (RISOS)

CONTROLE MÚSICA TENSA

PATRÍCIA Ao voltar para casa, chorei inconsolavelmente. Por meus planos cada vez mais distantes, por meu amor por Sérgio, por mim mesma, por não saber enfrentar a pressão da família…

CONTROLE MÚSICA TENSA

PATRÍCIA Passaram-se vários dias. Sérgio não dizia nada, mas em seu olhar adivinhava o que desejava. Quando o conheci não parecia um homem caseiro. Mas agora…

SÉRGIO Quero uma família como deve ser, Paty.

PATRÍCIA Está bem, Sérgio.

CONTROLE GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA Estou grávida. Sérgio anda alegre e o bebê no meu ventre me enche de ternura, mas isso será suficiente para converter-me em mãe? Espero que sim. E que a vinda do bebê nos faça mais felizes.

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Cem mulheres em conflito. Uma produção SERPAL. Escrita e dirigida por Tachi Arriola Iglesias. Edição e montagem, Carlos Romero.

*SEGUNDA SOLUCÃO*

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Segunda solução…

MÃE Paty, uma mulher sem filhos não é mulher. E Sérgio também o quer.

PATRÍCIA Mãe. Deixe-me em paz.

CONTROLE MUSICA TENSA

PATRÍCIA Queria sair correndo. Que maneira de me pressionar! Vou ver a Sílvia, é a única que me compreende.

CONTROLE MÚSICA TENSA

EFEITO CAFETERIA

SÍLVIA Paty, uma coisa é que biologicamente nós mulheres possamos conceber e outra que a sociedade nos imponha a maternidade como destino inevitável.

PATRÍCIA Exato. E se não queremos filhos, parece que temos que andar pedindo desculpas por não “cumprir” o papel de mães.

SÍLVIA Veja o meu caso. Tenho tantos planos que uma vida só não me basta.

PATRÍCIA Uma prima do Sérgio teve seu bebê e ele anda abobado com a menina.

SÍLVIA Se ela é feliz com seu bebê, muito bem.

PATRÍCIA Como fazê-lo entender que a maternidade não é uma obrigação mas uma opção?

SÍLVIA Difícil, Paty. Ensinaram o Sérgio que mulher é sinônimo de mãe.

CONTROLE MÚSICA TENSA

PATRÍCIA Faz pouco, Sérgio e eu tivemos uma grande discussão…

EFEITO LAR

SÉRGIO Paty, logo fará 31 anos e eu vou pelos 35. Quero que façamos uma família já, que seja a mãe de meus filhos.

PATRÍCIA Que seja a mãe de teus filhos? Olha, pensei que você me amasse.

SÉRGIO Por isso mesmo.

PATRÍCIA Sérgio, eu não sou uma reprodutora, sou uma pessoa que tem outras prioridades na vida.

SÉRGIO Virou feminista agora?

PATRÍCIA As feministas também têm filhos.

SÉRGIO Então, não te entendo, Patrícia. Não te entendo.

CONTROLE MÚSICA TRISTE

PATRÍCIA Espero que, pouco a pouco, Sérgio entenda que minha decisão não tem nada a ver com meu amor por ele. E que a maternidade não é uma opção para mim.

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Cem mulheres em conflito. Uma produção SERPAL. Escrita e dirigida por Tachi Arriola Iglesias. Edição e montagem, Carlos Romero.

*TERCEIRA SOLUÇÃO*

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Terceira solução…

MÃE Paty, uma mulher sem filhos não é mulher. E Sérgio também o quer.

PATRÍCIA Mãe. Deixe-me em paz.

CONTROLE MUSICA TENSA

PATRÍCIA Eu não quero noites em claro nem trocar fraudas nem dar o peito. Não me sinto chamada a tal missão. Por isso, quando Sérgio retomou o assunto…

EFEITO LAR

PATRÍCIA Eu já te disse que não.

SÉRGIO Poderia mudar de opinião. Eu quero ser pai, me dá esse gosto.

PATRÍCIA Ter filhos não é um gosto, é um trabalho tremendo. E nosso apartamento? E meus estudos? Todos nossos planos seriam adiados.

SÉRGIO O melhor plano é um bebê.

PATRÍCIA Não estou te reconhecendo, Sérgio. E por que essa agonia toda?

SÉRGIO Já é tempo. Só isso.

CONTROLE GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA Acho tão difícil isso de criar uma criança. Lembro o que minha colega de trabalho me contou….

CONTROLE MÚSICA DE TEMPO

EFEITO DESPERTADOR, CHORO CRIANÇAS, OUTRO DIZ MÃE, LIQUIDIFICADOR

MULHER (REVER) Achei que poderia trabalhar, estudar e ser mãe. Mas não é verdade e estou com os nervos em frangalhos. Meu marido? Enquanto eu me desespero, ele toma banho e toma o café da manhã.

CONTROLE GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA Pois é, depois da novidade, nós mulheres ficamos sozinhas para cuidar do bebê. Não, não entro nessa lida de jeito nenhum.

CONTROLE MÚSICA ROMÂNTICA.

PATRÍCIA Sérgio, meu amor. Eu entendo que deseje um bebê, e eu tenho pensado…

SÉRGIO Já se decidiu por fim?

PATRÍCIA Sérgio, ainda não…

SÉRGIO E quando?

PATRÍCIA Quando terminar meus estudos.

SÉRGIO Mas se ainda nem começou.

PATRÍCIA O tempo passa rápido.

SÉRGIO Mas, Paty…

PATRÍCIA Uns aninhos, Sérgio. E depois, tudo o que você quiser.

CONTROLE GOLPE MUSICAL

PATRÍCIA No começo, Sérgio não aceitou a ideia de postergar minha maternidade. Depois, não lhe restou outra alternativa. Ou esperar ou não tê-lo. Para mim, um filho é a decisão mais pessoal de todas. E eu ainda não estou preparada.

CONTROLE CARACTERÍSTICA DA SÉRIE

LOCUTORA Cem mulheres em conflito. Uma produção SERPAL. Escrita e dirigida por Tachi Arriola Iglesias. Edição e montagem, Carlos Romero.

p=. **********************************

p=. GUIA PARA O DEBATE*

_Tenho 30 anos e já faz pouco tempo que estou com um parceiro. Ele me pediu para termos um filho e não sei o que fazer. Eu nunca pensei em um filho como objetivo de minha vida, mas estou sentindo-me comprometida por meu parceiro._

_Primeira solução: Patrícia engravida para agradar o seu parceiro_
* _Segunda solução: Patrícia esclarece o seu parceiro que de modo algum terá filhos_
* _Terceira solução: Patrícia posterga a maternidade para tempos melhores_

p=. **********************************

*Ser ou não ser mãe*

Ter filhos não é só um fato biológico, é uma responsabilidade que traz diversas atividades e compromete a vida da mãe e do pai. Um filho ou uma filha são vida em formação que é preciso cuidar e orientar.

A maternidade converteu-se em uma imposição social para as mulheres, enquanto o instinto maternal não é mais que uma “construção social” e uma “obrigatoriedade” a partir de “uma série de dados biológicos dados à mulher”, que nos dizem “precisamos ser mães para estar completas”.

A sociedade, e sobretudo, a igreja, exaltaram a maternidade como o grande papel das mulheres. Por um lado glorifica-se o fato de ter filhos, por outro, esquece-se da mulher e da criança quando não há nenhuma institucionalidade que apóie a criá-la deixando a total responsabilidade para mãe. Se a mulher decide afastar-se do papel maternal, será apontada como pessoa estranha e até discriminada por outras mulheres que têm filhos. A “missão” das mulheres é perpetuar a raça humana e garantir um sistema patriarcal que a exalta e a violenta.

*Uma opção pessoal*

Sempre pareceu que as que não querem ter filhos tivessem que pedir desculpas por não “cumprir” o papel de mães. É preciso recordar que a mãe é também uma mulher, um ser com aspirações próprias, que amiúde não têm a ver com as de seu marido nem com os desejos do bebê.

*Razões das mulheres para não ter filhos*

* Considerar a maternidade como uma imposição social que não a realiza como pessoa.
* A possibilidade de chegar a espaços públicos que não conseguiria se tivesse filhos.
* Priorizar a relação com o parceiro sobre filhos e filhas.
* Seu desenvolvimento profissional, ser autônoma e independente economicamente.
* A liberdade sexual que lhe proporciona a pílula anticoncepcional e que lhe permite ter uma vida sexual satisfatória.

*Razões pelas quais uma mulher decide ter filhos*

* Para agradar o parceiro, a sua família.
* Para cumprir as normas sociais e religiosas.
* Para não passar da idade reprodutiva.
* Por medo da solidão.
* Por amor, convencimento e desejo próprio.

*Maternidade patriarcal*

Numa sociedade patriarcal a reprodução é uma obrigação, uma missão, uma espécie de mandato cultural para a mulher, do qual não é fácil escapar pelo quão arraigados que são os mitos que sustentam a própria essência do ser mulher. Uma espécie de mandato filosófico que identifica o feminino. As mulheres se visibilizam e obtêm respeito a partir da maternidade. Do ponto de vista patriarcal, uma mulher que não pode parir chega ao reconhecimento se desenvolve funções maternais de substituição como criar irmãos, sobrinhos, ser missionária, etc.

A extensão desta obrigação de reprodutoras que nos é atribuída encontra seu “reconhecimento” no campo do direito quando se legisla para proteger-nos como mães ou a partir da família. O direito trabalhista nos limita desde a maternidade recordando-nos que nosso primeiro dever na vida é cuidar da cria.

bq. “Nos ensinaram a ter medo da liberdade; medo de tomar decisões, medo da solidão. O medo da solidão é um grande impedimento na construção da autonomia”. Marcela Lagarde.

*Para completar…*

* Lei sobre direitos sexuais
* Lei sobre direitos reprodutivos
* Lembrar um caso como o de Patrícia
* Lugares de orientação e programas de atenção a mulheres sobre seus direitos sexuais e reprodutivos (endereço e telefone)

*Como usar este programa?

1. Apresentar o tema.
2. Passar a dramatização do conflito (sem os finais possíveis).
3. Provocar um primeiro diálogo com a audiência (o que acontecerá com a protagonista? O que faria em um caso semelhante? Como terminará este conflito?).
4. Passar os três finais possíveis, um a um, com comentários intercalados. Qual é a melhor solução?
5. Abrir o debate (telefônico e/ou presencial). Nesta ficha há dados para comentar o tema.
6. Também pode convidar a uma mulher sem filhos e outra com filhos para comentar o programa e responder as perguntas da audiência.
7. Para terminar, seria conveniente ouvir o programa completo com a solução mais votada pela audiência.

PATRÍCIA, A MATERNIDADE, OPÇÃO OU OBRIGAÇÃO?

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.