A DOENÇA DA HOMOFOBIA

Este radioclip no tiene audio.

Em Cuba muitas coisas mudaram. E na tua mente?

CONTROLESICA CUBANA

LOCUTORA Ano 1962. Cuba vive a noite dos três P:

POLÍCIA Prostitutas, proxenetas e pássaros!… Essa gentalha tá toda em cana.

LOCUTORA Rondas policiais contra os “pássaros”, como os homossexuais são chamados em Cuba.

LOCUTOR Naqueles primeiros anos da Revolução cubana, instalaram-se Unidades Militares de Ajuda à Produção, as UMAP.

LOCUTORA Nas UMAP eram confinados homossexuais, religiosos e dissidentes, que eram catalogados como parasitas e anti-sociais.

POLÍCIA Que vão cortar cana… pra virar cabra macho!

CONTROLESICA CUBANA

LOCUTORA Embora as UMAP durassem pouco, fizeram muito estrago. Depois, e durante um bom tempo, o governo cubano continuou perseguindo aos homossexuais, identificando-os com a decadência capitalista.

LOCUTOR Anos de intolerância, de homofobia oficial.

CONTROLESICA CUBANA

LOCUTORA Foi em 1993, no Festival do Novo Cinema Latino-Americano de Havana, quando estreou o longa metragem Fresa y Chocolate [Morango e Chocolate], de Tomás Gutiérrez Alea.

LOCUTOR Morango e chocolate, a amizade entre um jovem militante comunista, cheio de preconceitos e um homossexual revolucionário.

LOCUTORA Foi premiado em Berlim e Gramado.

LOCUTOR Obteve o Goya para melhor filme estrangeiro, na Espanha, e uma indicação para o Oscar de Hollywood.

EFEITO TUMULTO E SIRENES

LOCUTORA Mas a intolerância continuava…

POLÍCIA Estavam no Periquitão, não é? Prendam todos esses “periquitos”… era só o que faltava!

LOCUTORA No entanto, em agosto de 1997, a polícia cubana realizou uma operação de grandes proporções contra os gays que festejavam na discoteca Periquitão.

LOCUTOR Entre os presentes, encontrava-se o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, a transexual Bibi Andersen e o estilista francês Jean Paul Gaultier.

CONTROLE TODO CAMBIA

LOCUTORA Mas as coisas podem mudar. E mudam.

LOCUTOR Em 2008, o governo cubano se une às celebrações do 17 de maio, Dia Mundial contra a Homofobia, organizando vários eventos para a comunidade homossexual da ilha.

DICO É que em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde eliminou a homossexualidade de sua lista de transtornos mentais. E sabe por quê? Porque a homossexualidade não é uma doença, mas a homofobia é.

LOCUTORA Mariela Castro, filha do atual presidente Raúl Castro, foi a organizadora do evento.

MARIELA “Este é um momento muito importante para as cubanas e os cubanos, porque pela primeira vez nos reunimos para falar a profundamente e sobre base científica sobre estas realidades".

EFEITO APLAUSOS

LOCUTORA Mariela Castro dirige o Centro Nacional de Educação Sexual. É pedagoga e mãe de três filhos.

LOCUTOR O parlamento cubano está considerando um projeto de lei, proposto por Mariela, para outorgar mais direitos à comunidade homossexual.

LOCUTORA Entre eles, o reconhecimento legal e o direito à adoção. Também realizam-se operações para mudança de sexo pagas pelo Estado.

CONTROLESICA FESTIVA

CUBANO Como as coisas mudam, cavalheiro!… Antes anti-sociais e agora saímos do armário!

LOCUTORA Em Cuba muitas coisas já mudaram. E na tua mente? Ainda?

DICO Porque a homossexualidade não é uma doença, mas a homofobia é.

CONTROLESICA CUBANA

LOCUTORA 28 de junho, Dia do Orgulho Gay-Lésbico.

A DOENÇA DA HOMOFOBIA

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Conoce cómo se procesan los datos de tus comentarios.