ALBERTINA

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Os programas de ENTRE MULHERES estão desenhados para passar por rádio e provocar com estas dramatizações bons debates.

Esta é uma produção de Infante-Promoción Integral de la Mujer y la Infancia com o apoio de Hivos y Conexión Fondo de Emancipación. Escrito por Hortensia (Tachi) Arriola.
Série completa em: Radioteca.net(enlace)**************

PEDRO (Fala incoerências)

ALBERTINA Pedro, vai acordar as crianças. Se assustam quando te ouvem chegar assim. Cale-se, por favor.

ALBERTINA Outra vez. Mais uma vez. Minha vida passa entre golpe e golpe. Eu me juntei com Pedro quando tinha 17 anos. Como minha família era pobre, que eu saísse de casa era uma benção.

MÃE Filha, o Pedro é trabalhador, vai te manter bem.

PAI Albertina, eu estou doente. E teus seis irmãos têm necessidade.

ALBERTINA Não sei se eu o amava ou se só queria sair da pobreza.

PEDRO Vamos ter uma família como Deus manda, mainha.

ALBERTINA Mas a seu entender, Deus mandava que ele mandasse e eu obedecesse. Assim chegaram quatro filhos, duas meninas e dois meninos.

PEDRO Você é uma inútil, Albertina. A única coisa que você sabe fazer é parir.

ALBERTINA Mas, Pedro. Você me obriga a estar contigo.

PEDRO Isso é assim. É tua obrigação. Para isso você é minha mulher.

ALBERTINA Não quer que tome pílulas, nem que coloque DIO.

PEDRO Isso sim você gostaria, não é putinha? Para me enganar.

ALBERTINA Não, Pedro. Mas como posso fazer para não ter mais filhos?

PEDRO Isso é problema teu. E eu estou avisando, nem um filho mais, que eu não tenho dinheiro para sustentar “teus” filhos.

ALBERTINA Mas, Pedro…

PEDRO Escuta aqui, por que não procura outro trabalho? Ou vai para rua conseguir dinheiro?

ALBERTINA Mas, Pedro…

PEDRO “Mas, Pedro”… Cale-se, e deixe-me em paz que estou cansado dessa maldita construção.

ALBERTINA Eu também chegava cansada. Trabalhava em uma loja e tinha que passar o dia todo de pé. E antes de sair da minha casa, tinha que deixar a comida, a roupa, levar as crianças à escola e, ao voltar, continuava com as tarefas domésticas. Não tinha descanso…

PEDRO Você é uma inútil. Não faz nada.

ALBERTINA E todos os finais de semana…

PEDRO Venha cá, mainha, que estou com tesão…

ALBERTINA Pedro, as crianças estão acordadas.

PEDRO E daí? Que saibam que seu pai ama a sua mãe.

ALBERTINA Pedro, Pedro, não. Chega, Pedro já chega…

ALBERTINA Em toda esta desgraça, me sentia muito só. Minha mãe e meu pai não queriam
entender, quando viam os hematomas no meu rosto, nos meus braços, em minhas pernas.

MÃE Homem é homem, Albertina. Você deve estar fazendo algo para irritá-lo.

PAI Na certa o está evitando. Deixe ele levar os amigos para casa.

ALBERTINA Eu estava fazendo algo errado? Perguntei a Pedro como deveria me comportar.

PEDRO Eu gosto assim. Uma mulher boa e que cumpra o seu dever com o marido.

ALBERTINA Pedro, eu já não sei o que fazer para lhe agradar. As crianças têm medo de você.

PEDRO Você os ensina que eu sou mau. Eles têm que me respeitar.

ALBERTINA Mas, Pedro…

PEDRO Cale-se!

ALBERTINA Me calei, mas felizmente não ia ser para sempre. Tinha a Pati, minha amiga de infância. Ela me ouvia e me aconselhava…

PATI Albertina, não pode continuar assim. Não percebe que essas crianças têm medo? Que teus filhos vivem nervosos?

ALBERTINA E o que eu faço? Eu não posso mantê-los sozinha com meu salário, é quase nada. Pati, diga-me, acha que pode haver outro caminho para mim? Como?

PATI Denuncie, Albertina. Vamos à polícia.

ALBERTINA À polícia, Pati?

PATI Sim, tem que salvar tua vida. Você não fica preocupada quando ouve que muitas mulheres morrem de apanhar do marido? Vamos, Albertina. Eu te acompanho.

CONTROLE MÚSICA DRAMÁTICA

PATI Viemos denunciar o marido de mi amiga. Olha como ela está. Um pouco mais e o marido a mata.

POLICIAL Muito bem, senhora. Um momento. Que fale a ofendida.

ALBERTINA Não estou ofendida. Estou espancada. Não vê? E quero fazer minha denúncia. Quero proteção, senhor policial.

ALBERTINA Os policiais não acreditam quando vamos denunciar, mas finalmente…

POLICIAL Senhora, aqui tem esta citação para seu marido.

ALBERTINA Eu agradeço a minha amiga Pati. Ela me ensinou que há leis para nós e que tenho direitos. Com essa citação em minhas mãos, eu mudarei de atitude. Deixarei bem claro para o meu marido que ele já não pode me tocar. E se o fizer, o coloco para fora de casa. Agora, está meio tranquilo.

PEDRO Albertina, passa-me a comida… por favor.

ALBERTINA Ele ficou na minha casa porque não tem aonde ir. Mas sabe que não pode tocar-me nem gritar comigo. Nem comigo nem com meus filhos. E eu aprendi que não tenho porque aguentar socos e humilhações de ninguém. Quer viver conosco? Que se comporte bem. Não peço mais nada.

LOCUTORA Albertina não é única mulher que sofreu violência física. Várias outras mulheres passaram pela mesma situação. Estes são seus testemunhos:

MULHER 1 Meu marido me espancava. Que se a comida, que se a roupa, que se isto, que se aquilo… Se lhe pedia dinheiro, recebia socos. Não aguentei mais, juntei meus filhos e fomos para longe. Como eu sei cozinhar muito bem, comecei a vender acarajé. Assim, vamos tocando a vida. Ninguém bate mais em nós.

MULHER 2 Eu não tenho força para ir embora. Trato de que não fique bravo comigo. Me levanto cedinho para ter suas coisas prontas, sua comidinha quente. E se bebe? Não lhe digo nada, assim me deixa tranquila. O que eu posso fazer? Aguentar seja lá como for por meus filhinhos, para que tenham seu pai.

LOCUTORA A primeira coisa que temos que entender é que nós não somos responsáveis nem temos a “culpa” da violência dos homens. E que também não é um assunto de dentro da casa, que só acontece com você. Milhares de mulheres, 8 de cada 10 sofrem esta violência. Veja as mulheres ao teu redor. Elas a sofrem? Você a sofre? O que fariam elas no lugar da Albertina? O que você faria?

Foi uma produção de Infante-Promoción Integral de la Mujer y la Infancia com o apoio de Hivos e Conexión Fondo de Emancipación. Escrito por Hortensia (Tachi) Arriola.

Intérpretes:
Albertina: Rocío Canelas
Pedro: Alfonso Terán
Mãe: Marianela Alvis
Pai: Ever Angulo
Pati: Claudia Hurtado
Policial: Nelson Marca
Mulher 1: Eva Frías
Mulher 2: Daniela Mercado
Locutora: Valeria Urquieta

Capítulos da série ENTRE MULHERES:
1- Albertina (Violência física)
2- Josefa (Incesto e Violência sexual)
3- Susana (Violência psicológica)
4- Paulina (Violência no namoro)
5- Hilda (Violação no casamento)
6- Cecilia (Violência econômica)
7- Dora (Exploração sexual comercial)
8- Sara (Assédio sexual e violência simbólica)
9- Jacinta (Violência econômica)
10- Raquel (Violência simbólica)

Siga as produções de Infante na Radioteca. (enlace)

ALBERTINA

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.