EXPROPIAÇÕES CULTURAIS (2)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Manuel Machado tem uma palavra para dizer sobre a cultura livre.

Quando falamos de cultura livre e direitos compartilhados (o contrário de “copyright”), nunca faltam os que rasgam as vestes e nos acusam de fomentar a pirataria e atentar contra a sagrada propriedade intelectual.

Nisto estávamos quando chegaram a nossas mãos uns versos do grande Manuel Machado, irmão de Antonio. E depois encontramos outro grande, Atahualpa Yupanqui, que fala sobre a importância de não ser importante e canta os versos mencionados. Não resistimos a tentação de compartilhar com vocês.

Até que o povo os cante,

os versos, versos não são,

e quando os canta o povo,

ninguém mais sabe o autor.

Tal é a glória, meu bem,

dos que escrevem cantares:

ouvir as pessoas dizerem

que quem os escreveu foi ninguém.

Procure você que teus versos

vão parar na boca do povo,

mesmo que deixem de ser seus

para ser dos demais.

Que, ao fundir o coração

na alma popular,

o que se perde de nome

se gana de eternidade.

Manuel Machado

Em RADIALISTAS pensamos que o generoso pensamento deste poeta vale para os versos, para as canções, para os filmes, para as novelas, os livros, os programas de rádio e televisão… para todas as expressões culturais. Porque a cultura sempre é um fruto coletivo. E a coletividade deve ser devolvida.

Apostamos por uma cultura livre, universal e sem restrições.

Ouça Atahualpa Yupanqui neste programa de Vozes no Deserto.  

EXPROPIAÇÕES CULTURAIS (2)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.