OÍDO SALVAJE

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

O som, para ambos, não é apenas um fenômeno físico e estético, mas tem um sentido político-social subversivo.

Fazer ver com o ouvido é o poder mágico da rádio. Mayra Estévez e Faviano Kueva, artistas sonoros do Equador e criadores do Centro Experimental Oído Salvaje, exploram a Arte Sonora e enunciam ideias e conceitos através dlas diferentes sonoridades. O som, para ambos, não é apenas um fenômeno físico e estético, mas tem um sentido político-social subversivo.

Pista 3: Grito surdo

O CD Laboratorio Iquitos, é o resultado de um projeto realizado em 2008 com a participação de artistas da Colômbia, Equador e Peru, para explorar paisagens sonoras, fronteiras e interculturalidade de Iquitos, capital amazônica do Peru, “mais além da ditadura midiática que com excessiva frequência a reduz a um cenário de batalhas de drogas com os problemas sociais inerentes, ou buscando que suas realidades experimentem um matiz exótico”. Iquitos, com cerca de 400 mil habitantes, tem 20 mil mototáxis que pintam uma paisagem sonora muito especial junto às vozes e a música de sua gente.


Pista 6. Não calarão as vozes

BIBLIOGRAFÍA
LABORATORIO IQUITOS

Colômbia: Carlos Bonil e Wayra Jacanamijoy Mutumbajoy.

Peru: Francisco Andía Pérez, Edwin Mafaldo Gastelú, Rubén Meza Santillán, Luis Pinche Moreno, Alan
Poma, Salvador Lavado.

Equador: Iván Chávez Montero y Ricardo Trujillo Espinosa de los Monteros.

Um projeto de Mayra Estévez Trujillo, Jaime Cerón, Kristiane Zapell, Faviano Kueva, Sabine Breitsameter, Ricardo Espinosa de los Monteros, Verónica Maldonado Dávila, Marta Kovacsics.

Apoiado pelo Instituto Goethe, o Centro Experimental Oído Salvaje e Rádio La Voz de la Selva.

OÍDO SALVAJE

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.