OS DEMOCRÁTICOS (e 10)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

O mais apaixonado será o diretor ou a diretora. Gosta do que faz e o faz com gosto.

Por sorte, a maioria dos diretores e das diretoras não são como os caracterizados anteriormente nesta série. A maioria são boas pessoas, bons colegas, companheiros e companheiras que ensinam com o exemplo e dinamizam suas emissoras.

A melhor prova do que dizemos são as centenas de rádios comunitárias e populares, públicas e privadas, que florescem e dão os melhores frutos de um canto a outro de nossa Pátria Grande.

Estas diretoras e diretores democráticos sabem que sua primeira função na rádio, antes que as contas e os cabos, antes que os informes e as relações públicas, é a de ser animadores. Se a equipe não está motivada, de nada servirão os manuais de funcionamento, os memorandos nem as agendas. Porque a alma de uma rádio é sua equipe de trabalho. E essa equipe tem que estar apaixonada pelo que faz.

O mais apaixonado será o diretor ou a diretora. Gosta do que faz e o faz com gosto. E contagia a todo o pessoal a seu cargo com seu entusiasmo.

Não basta querer. Quem dirige deve saber diagnosticar, planificar, organizar, implementar e avaliar o projeto radiofônico. Deve ter clara sua estratégia de comunicação, partilhá-la e desenvolvê-la com toda a equipe.

Estes diretores democráticos sabem delegar tarefas e responsabilidades. Sua melhor qualidade é a capacidade de “fazer acontecer”. Para conseguir isto, conhecem e descobrem as potencialidades de cada um dos membros de sua equipe e sabem motivá-los.

Um diretor democrático é tão exigente com os demais como consigo mesmo. Se pede pontualidade, é o primeiro a chegar ao trabalho. Se pede disciplina, é a primeira que cumpre as normas que dá.

Não é psicólogo nem terapeuta, mas se cheira os conflitos no trabalho e os de relação. Quando estes estouram, sabe negociá-los e ajuda a solucioná-los.

Estes diretores e diretoras são gente de rádio. Sabem de rádio. E o que não sabem, perguntam e aprendem. Quando se equivocam, não têm temor de reconhecer seus erros.

Sabem tirar o melhor dos demais. Criam um ambiente de camaradagem e entusiasmo sem perder por isso sua autoridade. São lideranças naturais que inspiram confiança. E quem inspira não precisa dar ordens.

São criativos, lançam ideias audazes e propõem novos formatos. Mas o melhor é que sabem ouvir e tomar em conta as iniciativas dos demais. Por certo, nunca se apropriam das ideias alheias e sabem dar os créditos a quem é de direito.

Como líderes democráticos, promovem reuniões na emissora para debater a linha editorial, para capacitar-se através de bons textos. E não perdem oportunidade de fazer oficinas com a equipe para melhorar a qualidade da programação.

São pessoas de mente aberta. Progressistas. Se sua rádio tem que ser julgada pelo povo, lá estarão estes diretores e diretoras na primeira fila. Porque antes que radialistas são construtores de cidadania e lutadores pela justiça.

OS DEMOCRÁTICOS (e 10)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.