OS METRALHADORAS (6)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Outro tipo de entrevistadoras e entrevistadores que abunda no grêmio jornalístico.

Alguns entrevistadores fuzilam as pessoas com suas perguntas. Mais que uma entrevista, parece um interrogatório policial:

ENTREVISTADORA A que hora foi o assalto?

ENTREVISTADO Bom, como lhe disse…

ENTREVISTADORA Como puderam entrar por esta porta que
ainda continua fechada, me explique isso?

ENTREVSITADO O que aconteceu é que…

ENTREVISTADORA Mas, o senhor viu ou não viu?

ENTREVISTADO Eu estava aqui quando chegaram…

ENTREVISTADORA Suspeita que este homem foi o assaltante,
poderia confirmá-lo?

ENTREVISTADO Eu… eu não poderia…

ENTREVISTADORA Responda: sim ou não?

Esta atitude agressiva responde a um tipo de jornalismo sensacionalista. As pessoas entrevistadas, especialmente pessoas humildes, são simples pretextos para ganhar pontos de ibope.

Respeite a teus entrevistados. Elas e eles são os protagonistas do diálogo, não você. Além disso, não esqueça que o microfone se parece com uma pistola. Muita gente se assusta ao vê-lo. Não se deve metê-lo na boca do entrevistado, nem intimidá-lo com os equipamentos técnicos. É melhor tratar de criar um ambiente cômodo para que o entrevistado possa falar com confiança e naturalidade.

Você pode começar a entrevista apresentando a pessoa que vai entrevistar, localizando o lugar onde está, indicando qual o tema que vai tratar.

Estes entrevistadores metralhadora são especialistas nas “perguntas fechadas”, as que só podem ser respondidas com um “sim” ou com um “não”. Com estas perguntas só o entrevistador é que fala e o entrevistado se limita a afirmar ou negar.

ENTREVISTADOR E diga-me, tem água aqui neste bairro?

ENTREVISTADA Não.

ENTREVISTADOR E vocês solicitaram a água?

ENTREVISTADA Sim.

ENTREVISTADOR E a prefeitura não respondeu ainda?

ENTREVISTADA Não.

ENTREVISTADOR Mas vocês precisam da água?

ENTREVISTADA Sim.

ENTREVISTADOR E o senhor quer continuar esta entrevista?

ENTREVISTADA Não!

Priorize as “perguntas abertas”, as que não podem ser respondidas com monossílabos, aquelas que começam por:

Como…?
O que acha…?
Onde…?
Por que…?
Qual a sua opinião sobre…?

Com este tipo de perguntas, a pessoa entrevistada tem espaço para dar sua opinião.

As perguntas fechadas podem servir para precisar uma opinião ou para aclarar um dado. Mas, em general, trabalhe com perguntas abertas. E esqueça as metralhadoras porque o jornalismo não é uma guerra!

BIBLIOGRAFÍA
La entrevista, Manuales de capacitación ALER, Quito1993

OS METRALHADORAS (6)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.