AFINANDO O OUVIDO (3)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Truques úteis para equalizar na gravação e edição de áudio.

Terminamos esta série de radioclips dedicados à equalização, tratando do uso de equalizadores nas gravações e edições de áudio.

A primeira coisa é esclarecer que a equalização é um processo subjetivo. Cada ouvido possui características próprias e escuta de maneira diferente. Por isso, o que para um soa agudo, para outro pode estar soando muito grave.

Além do aspecto subjetivo, temos que levar em conta que cada voz é também diferente das demais.
Inclusive, não podemos fixar apenas uma equalização permanente para o mesmo locutor ou locutora, porque um dia pode chegar com a voz gripada ou mais nasal que de costume e teremos que ajustar de novo o equalizador.

Por tudo isto, é difícil chegar a um padrão para a equalização e, basicamente, nós teremos que confiar no “bom ouvido do técnico ou da técnica”.

EQUALIZAR VOZES
Homens

Partimos de que as vozes masculinas são graves. O processo de equalizar corretivamente é diminuir as freqüências que temos em excesso.

Neste caso, na gravação, se o locutor tem um vozeirão, baixamos os graves até que escutemos uma voz com corpo, mas que não ressoe.

Na edição posterior, podemos cortar com um filtro todas as freqüências por baixo dos 65-80 Hz, que são praticamente inaudíveis, mas acrescentam “uma bola de graves” que fazem o som ficar obscuro.
Podemos também colocar um pouco de agudos para dar mais brilho a voz masculina.

Se há excessiva nasalidade, trabalharemos diminuindo freqüências entre os 500 e 1000 Hz, que é a faixa onde se situam as vozes gripadas.

Mulheres

As vozes femininas tendem a ser agudas. Por isso, na hora de gravar podemos diminuir um pouco estas freqüências.

Se a locutora “ceceia” demais, quer dizer que pronuncia o “s” excessivamente, podemos colocar o microfone um pouco de lado, em vez de falar de frente.

E se ainda assim não conseguimos eliminá-los, deveremos usar um “de-esser”. É uma ferramenta que os editores de áudio trazem com a qual conseguimos eliminar esses incômodos sibilos.

Porém, não aplique o “de-esser” em toda a locução. Selecione somente os “s” sibilantes e, sobre essa seção, empregue o efeito.


Grupos

Nas cenas, ainda mais se as gravarmos com microfone de condensador, deixamos “flat”, quer dizer, a equalização plana, nem diminuímos, nem somamos.

Desta forma, conseguimos um maior realismo ao ter representado todo o espectro de freqüências.

EQUALIZAR INSTRUMENTOS

É uma operação muito mais precisa e complexa que equalizar as vozes.

Além disso, para os instrumentos, tem que se estar atento a uma propriedade que o som possui chamada “mascaramento”.

Foi descoberto que alguns sons podem se mascarar ou esconder-se por trás de outros sons que tenham diferentes freqüências. Este principio é usado, por exemplo, para comprimir um áudio de wav a mp3.

Para acertar com a atenuação e os ganhos dos instrumentos devemos conhecer a freqüência de cada um deles.

Aqui você encontra as freqüências dos instrumentos mais comuns.

Com estes dados será mais fácil saber qual freqüência diminuir e quais acentuarem. Porém, se você quiser acertar plenamente, tenha sempre a mão esta útil tabela de conselhos que tiramos de elefantrico.com

E agora, afine teu ouvido e… vamos equalizar!

AFINANDO O OUVIDO (3)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.