COMO ADAPTAR CONTOS?

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Três truques para uma boa adaptação radiofônica.

Há contos para dar e vender. Contos infantis e de adultos, contos realistas e de pura fantasia, contos de amor e de terror, históricos e de aventuras, contos da tradição oral e outros que encontramos na internet.

O conto pertence à “família narrativa”. Isto é, em um conto o narrador ou a narradora são decisivos. Na “família teatral”, pelo contrário, os personagens e seus diálogos ocupam praticamente a maior parte do tempo. Em um conto não. Inclusive muitos escritores de contos prescindem destes diálogos e escrevem parágrafos e parágrafos de pura narração.

Se quisermos adaptar um conto para rádio, a solução mais fácil seria lê-lo a uma voz ante o microfone com um fundo musical. E pronto. Mas podemos ser mais criativas, mais imaginativos. Como fazê-lo?

A primeira coisa é escolher bem o conto. Que não seja muito enrolado, que possa ser entendido pelas pessoas e as agrade. Que tenha ação, que não seja muito intimista. E que também não seja muito longo. Entre cinco e dez minutos é um tempo razoável para um conto radiofônico.

Escolhido o conto, é preciso “marcá-lo”. Tome uma esferográfica e assinale os personagens, os principais e os secundários. Separe as cenas para localizar ai as cortinas musicais. Substitua algumas palavras difíceis ou muito locais por outras de mais fácil compreensão.

Feito isto, aqui vão os três truques principais para uma boa adaptação:

1- Descrever os sentimentos com música

Com as “cortinas” separamos as cenas. Mas com os “fundos” as esquentamos. Se a cena é de amor, ponha de fundo música romântica. Se é de medo, ponha música de suspense. (Se não tem grandes emoções, não coloque nenhum fundo.) Pode traduzir muitos sentimentos dos personagens descritos pelo narrador pondo os fundos adequados.

2- Descrever o ambiente e as ações com efeitos

Muitas descrições da paisagem ou do que ocorre na história podem substituir-se com os efeitos de som correspondentes. Se no conto se anuncia uma tempestade, bastam uns trovões distantes para sugeri-la. Se os personagens esperam a chegada de um carro, coloque um ruído de motor que se aproxima.

Os efeitos dão cor à narração. Às vezes, podem substituir as palavras que os descrevem. Outras vezes, as reforça. Por exemplo, suponhamos que no conto se diz: “Gira que gira o vento, e não se cansa o vento de girar.” Este lindo texto perderia se eliminamos e substituímos simplesmente por um assobio do vento. Neste caso, podemos manter as palavras e as reforçamos com o efeito.

3- Traduzir a narração dos fatos em diálogos

Este é o maior desafio que enfrenta quem adapta. Para consegui-lo, deve ter se familiarizado com os personagens do conto, porque vai fazê-los falar segundo seus caracteres. O melhor ponto de apoio para conseguir isto são os diálogos já existentes no próprio conto, embora talvez sejam breves.

Atenção. Não se trata de eliminar o narrador, mas sim de deslocar a tônica da história para as cenas teatralizadas pelos atores.

Dizem que a arte de quem adapta consiste em combinar a fidelidade ao autor do conto com a liberdade para traduzir sua obra na linguagem própria do meio radiofônico.

QUER CONHECER MAIS SOBRE COMO SE ADAPTA UM CONTO?

Pois então ouça esta videoconferência onde José Ignacio López Vigil passa um bom tempo explicando esta técnica. Vídeo em espanhol

COMO ADAPTAR CONTOS?

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.