UM NEGÓCIO VERDE E DE CINCO PONTAS (4)

Este radioclip es de texto y no tiene audio grabado.

Os bancos norte-americanos são as verdadeiras lavanderias do dinheiro sujo.

UM NEGÓCIO VERDE E DE CINCO PONTAS (3)

CONTROLE MÚSICA DE SUSPENSE

EFEITO GRITOS E RUÍDO PISTOLA

CAPITÃO (MUITO NERVOSO) Não me mate, comandante, eu…

COMANDANTE A traição se paga com um tiro na cabeça.

CAPITÃO Eu explico, comandante, eu…

COMANDANTE Mas se te mato agora, que é o que você merece, nunca saberei onde você escondeu os artesanatos. Você, seu pedaço de merda (APITO), pensou que eu ia acreditar na história da confusão de letras e que entregou aos do Golfo? Onde está a mercadoria? Desembucha.

CAPITÃO Está bem, meu comandante. Sabe… na realidade, eu não entreguei nada a ninguém, nem aos do Golfo nem aos do Chapo, nem…

COMANDANTE Não entregou nada?

CAPITÃO Nadica, nada.

COMANDANTE Ao menos, reconhece. Então, onde está a caminhonete? Fala.

CAPITÃO A caminhonete está a duas quadras. Mas está vazia.

COMANDANTE Como está vazia? Não me diga que já a vendeu…? Essa mercadoria é minha, entende?

CAPITÃO Eu não entreguei nada nem vendi nada porque… eu não trouxe nada. Viajei vazio.

COMANDANTE Como disse?

CAPITÃO O que o senhor me mandou fazer era muito perigoso, comandante. Eu sou mexicano mas não sem-vergonha.

COMANDANTE Façamos uma coisa, Moya. Eu sempre fui com a tua cara. Não sei por que, talvez porque tua cara se parece com a do meu cachorro Sultão… Eu te tiro dessa, mas diga-me onde está a porcaria do artesanato.

CAPITÃO No mesmo lugar de sempre, meu comandante. As vasilhas não se moveram nem um milímetro da garagem onde o senhor a me entregou.

COMANDANTE Se estiver mentindo, aí não te dou um tiro, te penduro pelas bolas. Muito bem. Vamos.

CAPITAN Meu comandante, uma pergunta antes. Por que o senhor… se meteu nisto?

COMANDANTE Por que me meti no negócio?

CAPITÃO Sim, por que.

COMANDANTE Porque já estou farto dos gringos, entende? Farto desse truquinho.

CAPITÃO Que truquinho, meu comandante?

COMANDANTE Você não ouviu isso de que o que parte e reparte fica com a melhor parte?

CAPITÃO Sim, mas…

COMANDANTE Neste assunto da droga, eles têm a faca e o queijo na mão. Eles ficam com a melhor parte. E nós? Chupando o dedo? Eu também quero a minha parte!

CAPITÃO Ainda não captei…

COMANDANTE Ouça, Moya. Esta serpente do narcotráfico tem uma calda longa, muito longa… os que plantam, os que vendem, os que compram, os que compram dos compradores, as mulas, os capos e os capados. Mas na cabeça, Moya, sabe onde está a cabeça da serpente, a máfia das máfias?

CAPITÃO Desconheço completamente.

COMANDANTE Nos bancos norte-americanos, Moya. Essas são as verdadeiras lavanderias. O grande volume de dinheiro do narcotráfico vai parar lá, em Wall Street. Sabe quanto dinheiro recebem esses bancos do cartel gringo, que é o cartel do qual nunca se fala? Mais ou menos, 300 bilhões de dólares por ano.

CAPITÃO Será que eu ouvi direito? 300 bilhões…?

COMANDANTE Ouviu muito bem. 300 bilhões de dólares por ano. Aos que vendem droga na rua, às mulas, sobram só as migalhas.

CAPITÃO E aos cartéis?

COMANDANTE Inclusive aos cartéis, as máfias de nossos países, sobra, digamos, uma quinta parte desse dinheiro sujo. Mas os bancos gringos embolsam a cada ano 300 bilhões de verdes. Eu já me cansei. Então que me deem o meu.

CAPITÃO Mas… e todo o dinheiral que mete os Estados Unidos perseguindo a maconha, a cocaína, a… ?

COMANDANTE Puro teatro, Moya. Quanto gastam eles por ano na tão propalada “guerra contra as drogas”? 30 bilhões? Isso equivale a 10 por cento dos 300 bilhões que ingressam em seus bancos. Diga-me você, é um gasto ou um investimento?

CAPITÃO Estou me beliscando para saber se é verdade…

COMANDANTE E para que os bancos gringos ganhem essa milhonada, nossas sociedades apodrecem. Aqui todo mundo está salpicado, a polícia, o exército, os políticos, os jornalistas, juízes, igrejas, esportistas…

CAPITÃO E… e qual é a solução, meu comandante?

COMANDANTE Só uma, Moya. Legalizar. Le-ga-li-zar. Mas isso, nem a Virgem de Guadalupe saberá quando. E agora, os três macacos. Você não viu nada, não ouviu nada, e não falou nada comigo. Está claro?

CAPITÃO Claríssimo, meu comandante.

COMANDANTE Então, desaparece.

CONTROLE MÚSICA DE TRANSIÇÃO

EFEITO AVIÕES MILITARES

NARRADORA A guerra contra as drogas também serviu aos Estados Unidos como pretexto para intervir nos países e controlar a região. Bases militares no México, na Colômbia, no Chile, no Paraguai, no Peru, em Cuba, em Honduras, em toda a América Central… 737 bases militares espalhadas pelo planeta.

CONTROLE MÚSICA DE TRANSIÇÃO

CAPITÃO E eu que pensava em viver por aqui!… Ai, Moya, Moya, o sonho americano virou um pesadelo!… Vamo-nos por onde viemos!

EFEITO ARRANCA CAMINHONETE E SE AFASTA CANTANDO “MÉXICO LINDO Y QUERIDO”.

NARRADORA Segundo a Policía Nacional do Peru, 80 por cento dos roubos, sequestros e assassinatos que se cometem no país estão relacionados com o tráfico de drogas. Nos demais países da América Latina as cifras são similares.

HOMEM 2 Mas, então, se as drogas não estivessem proibidas, poderíamos viver mais tranquilos. Acabaria 80 por cento dos delitos!

NARRADORA Se se legalizassem as drogas, acabariam as máfias. Esvaziariam as prisões. E os bilhões que são desperdiçados na “guerra contra as drogas”, poderiam ser empregados na saúde pública e na educação.

HOMEM 2 Mas, se a coisa é assim, por que não acabam de legalizar, ao menos, a maconha, digam-me?

NARRADORA A única razão para manter a proibição da maconha não é baixar o consumo, mas elevar os preços que tornam tão atrativo este negócio. Um negocio verde e de cinco pontas.

CONTROLE MÚSICA MEXICANA NORTENHA

EFEITO BATIDAS PORTA, PASSOS E PORTA SE ABRE

CAPITÃO Senhora Yolanda Yoli?

YOLANDA A própria, sim, mas…

CAPITÃO Sou o capitão Moya, bom, era o capitão Moya.

YOLANDA O que queria me colocar na cadeia por dar uma tragada. O que o senhor quer agora?

CAPITÃO Pois… pois eu vim trazer-lhe um presentinho… É da boa… Recebi de uma senhora da Califórnia… e a senhora vai desfrutar mais que eu.

CONTROLE MÚSICA MEXICANA NORTENHA

NARRADORA Um negócio verde e de cinco pontas.

Libreto, José Ignacio López Vigil.

Gravação e direção, Iván Primitivo González.

Narração, Giselle Jácome.

Como Capitão Moya, Jaime Colepardo.

Comandante, Juan Stack.

Yolanda, Luna Arjona.

Linda Murray, Margarita Castillo.

Agente DEA, Coreen Kopper.

Homem 1, Omar Tercero.

Homem 2, Iván González Romero.

Gravação realizada nos estúdios da Rádio UNAM, México.

Edição final, Byron Garzón.

Uma produção de Radialistas Apaixonadas e Apaixonados.

UM NEGÓCIO VERDE E DE CINCO PONTAS (1)

UM NEGÓCIO VERDE E DE CINCO PONTAS (4)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.